quarta-feira, 31 de julho de 2013

2 Tubarões são Capturados no Litoral de PE. A espécie que vem atacando acaba morrendo

Dois tubarões foram capturados na manhã desta terça-feira (30) pela equipe do barco Sinuelo, embarcação responsável pelo estudo da presença do animal no mar do Grande Recife. No quarto dia de operações, os pesquisadores fisgaram um tubarão-lixa fêmea de 2.35 metros de comprimento na praia de Boa Viagem, Zona Sul do Recife, e um tubarão-tigre macho de 1m10 de comprimento na Praia do Paiva. A segunda espécie é uma das principais responsáveis por ataques. 

A fêmea, encontrada a um quilômetro da costa, em frente ao hotel Atlante Plaza, já havia sido capturada antes. "O animal foi solto no local depois que tiramos todas as medidas que vão permitir que estudemos o crescimento dele", explicou o pesquisador e coordenador do projeto, professor Fábio Hazim. 

Já o tubarão-tigre capturado no Paiva foi fisgado pelo olho e não sobreviveu aos ferimentos. O anzol usado para a captura tenta fisgar o animal externamente, para que este não sofra lesões. As duas espécies foram capturadas no espinhel fora do canal - um trecho mais profundo que fica próximo da praia.

PROJETO - Na última sexta-feira (26), o barco Sinuelo - responsável pelo estudo da presença de tubarões no mar do Grande Recife - voltou ao alto mar para uma varredura de seis dias pelas praias da Região Metropolitana do Recife (RMR). Uma equipe com cinco profissionais - formada pelo mestre do barco, um engenheiro de pesca, dois auxiliares de convés e um cozinheiro - retornará à costa nesta quarta-feira (31). Os trabalhos estavam interrompidos desde dezembro de 2012 e voltaram após a SDS liberar uma verba de 1,8 milhão de reais.

Nesta operação, o grupo lançou dois espinhéis com 100 anzóis de 4 quilômetros cada e 20 linhas de espera em dois pontos, um em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, e outro perto da foz do Rio Jaboatão. Os equipamentos abrangerão um perímetro entre o Pina, na capital, e o Paiva, no Cabo de Santo Agostinho. Os espinhéis são um primeiro escudo e ficam posicionados a cerca de 2,5 quilômetros da costa, a uma profundidade que varia entre 14 e 16 metros, a depender da maré. As linhas de espera, por sua vez, são colocadas mais perto da praia, em média 800 metros, a uma distância vertical que vai de quatro a seis metros.

Atuando desde 2004, o barco já capturou de 60 tubarões-tigre e 14 do tipo cabeça-chata, principais responsáveis por ataques. A média costuma ser de uma captura por mês. Os animais apreendidos pelos aparelhos receberão sensores acústicos e por satélite e terão seus passos monitorados pelo Cemit. Em seguida, serão levados pelo Sinuelo a uma área 37 quilômetros distante da costa.

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira