terça-feira, 6 de agosto de 2013

PMDB obriga Governador do Rio pedir desculpas em Rede Nacional

As propagandas partidárias do PMDB entrarão em rede nacional a partir do próximo sábado. E o partido defende que Sergio Cabral, peemedebista que tem hoje a imagem mais prejudicada diante da população, peça desculpas em rede nacional por erros em sua gestão. Apesar de ter admitido falhas em declarações recentes e até falado em "humildade", o governador do Rio de Janeiro ainda está resistente à ideia.

Na avaliação de Cabral, as 40 inserções da legenda deveriam tratar apenas das benfeitorias de seus seis anos e meio de governo, além de alavancar a candidatura do vice-governador Luiz Fernando Pezão, que será lançado ao governo do Estado em 2014. "Minha tese é de que é hora de mostrar o antes e o depois do Rio, mostrar que o partido lançou um candidato em 2006 e as realizações que fizemos a partir de 2007. Eu sou secundário", diz Cabral.

Já o presidente do PMDB-RJ, Jorge Picciani, pensa de forma diferente. "Defendo que o governador entre nas dez últimas inserções e diga que esse é o governo dele. Ele é tão qualificado que pode apontar onde houve algum excesso e pedir desculpas. Não vejo o menor problema em pedir desculpas, faço isso todos os dias", afirma. Os dois concordam, no entanto, que é preciso mostrar o Rio antes e depois de Cabral.

Falhas na gestão

Nos últimos meses, Cabral tem sido alvo de manifestações que pedem mudanças na gestão e até sua saída do cargo. Denúncia da revista Veja revelou que ele usou de forma abusiva helicópteros do Estado para fins pessoais e a população se revoltou ultimamente com temas como a violência da Polícia Militar, o sumiço do morador da Rocinha Amarildo de Souza, a privatização do Maracanã e a demolição de uma escola, um clube e um parque aquático que ficam no entorno do Estádio.

A fim de recuperar sua imagem – Cabral foi o governador mais mal avaliado entre 11 estados pesquisados pelo Ibope –, o governador do Rio já voltou atrás em algumas decisões, como a demolição das estruturas em torno do Maracanã e a concessão do estádio à iniciativa privada. Chegou a admitir "erros de diálogo" numa entrevista à CBN e dizer que "estava precisando de uma dose de humildade" após a visita do papa à capital fluminense.

Talvez, na avaliação dele, pedir desculpas em rede nacional seja humildade demais, mesmo para o novo Cabral.

Com Informações do 247

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira