quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Zona da Mata e Sertão são as regiões mais afetadas pela diarreia em Pernambuco


A Secretaria Estadual de Saúde (SES) reforçará as medidas de combate à doença diarreica aguda (DDA) em 86 municípios que enfrentam epidemia em Pernambuco. De acordo com o órgão, uma portaria será publicada em breve disponibilizando verba de R$ 1,13 milhão para intensificar a vigilância epidemiológica das cidades. No cronograma da secretaria, estão previstos cursos de reciclagem para os agentes de saúde.

Segundo a assessoria de imprensa da SES, a verba deve servir para compra de hipoclorito, que desinfeta a água consumida, e cloro. Além disso, as cidades podem usar o dinheiro para pagar aos profissionais de saúde que deverão ser contratados para reforçar a ação. O órgão garantiu que dará continuidade aos cursos de atualização em vigilância epidemiológica das doenças de veiculação hídrica e alimentar, que serão realizados de 7 a 9 de agosto. Eles contemplam os profissionais da Vigilância Epidemiológica municipal, regional e dos núcleos de epidemiologia dos hospitais locais. Serão 107 unidades beneficiadas em todo o Estado.

Durante três dias, a reportagem do Jornal do Commercio percorreu municípios do interior de Pernambuco, onde houve mais casos da doença. A Zona da Mata e o Sertão são as regiões mais afetadas.

Dados da Secretaria Estadual de Saúde revelam que até a primeira semana de junho deste ano, 130.219 pessoas foram atendidas nos postos de saúde e hospitais com sintomas da doença. Um ano antes, no mesmo período, o número era de 87.596.

Esse aumento pode estar relacionado com a qualidade da água fornecida aos moradores de locais que sofreram com a seca deste ano. Os órgãos responsáveis pelo fornecimento da água afirmam que o líquido é próprio para o consumo humano e está sendo tratado adequadamente. Porém, não é isso que mostra alto índice de pessoas doentes após ingeri-lo.

Pernambuco apresentou um aumento de 48,6% de pacientes que adoeceram por causa da alta quantidade de coliformes presentes na água, além de seis mortes nos municípios de Salgueiro, Afrânio, Santa Terezinha e Arcoverde, no Sertão, e Iati, no Agreste, vitimadas pela doença.

A doença diarréica aguda é causada normalmente por presença de parasitas como vírus, fungos e bactérias. Eles podem ser contraídos por alimentos ou líquidos infectados. Além da diarreia, os outros sintomas da doença são cólicas, aumento de gases, dores abdominais e/ou retais, mal-estar e náuseas.

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira