segunda-feira, 9 de junho de 2014

Aécio Neves garante aliança do PSDB com Paulo Câmara, mas alfineta Eduardo Campos


Apesar de não ter vindo a Pernambuco para o encontro com os tucanos locais, o senador mineiro e presidenciável Aécio Neves (PSDB) afirmou, em entrevista à Rádio Jornal, na manhã desta segunda-feira (9), que o PSDB estadual deve manter a aliança com o ex-secretário da Fazenda Paulo Câmara (PSB). Apesar disso, o tucano usou a entrevista para alfinetar o também presidenciável Eduardo Campos (PSB), ex-governador pernambucano.

“Da minha parte, eu não tenho qualquer motivo para mudar os meus compromissos. A minha palavra foi dada e se essa for a vontade, e me parece que é, majoritária dos companheiros do PSDB, nós manteremos esse entendimento”, garantiu.

O apoio à Câmara foi garantido, em seguida, pelo presidente do PSDB em Pernambuco, o deputado federal Bruno Araújo, em entrevista à mesma rádio. “Agora é construir o resultado vitorioso da eleição de Paulo Câmara em Pernambuco”, cravou.

A aliança entre tucanos e socialistas foi fechada no ano passado como parte de um acordo nacional entre Aécio e Campos. O pacto era de que o PSDB apoiaria o candidato do PSB em Pernambuco e, em troca, os socialistas ajudariam a eleger o candidato tucano em Minas.

Pressionado pela vice Marina Silva e pelas pesquisas de intenção de voto, Eduardo Campos iniciou um movimento para ter palanque próprio do PSB em Minas, o que levou os tucanos a cogitar ter o deputado estadual Daniel Coelho (PSDB), segundo colocado na corrida pela Prefeitura do Recife em 2012, como candidato ao Governo do Estado.

Para ter candidatura própria, porém, o PSDB pernambucano teria que abrir mão de alguns dos seus principais quadros na disputa proporcional. Coelho, por exemplo, é um dos principais nomes para concorrer à Câmara Federal.

“Eu jamais sacrificaria companheiros meus do partido em razão de uma eventual candidatura presidencial que eu possa ter”, garantiu Aécio.

EDUARDO CAMPOS – Questionado sobre os movimentos realizados por Campos para se diferenciar da candidatura tucana, inclusive questionando a origem política de Aécio e sua postura política, o senador disparou críticas veladas ao adversário na corrida presidencial.

“Eu tenho ouvido aí algumas críticas do Eduardo. Da minha parte, não mudou nada. As pesquisas eleitorais e a candidatura presidencial não alteram os meus valores, nem a minha amizade”, alfinetou, antes de dizer que não perderia seu tempo com “indelicadezas”.

“Sempre, no Congresso Nacional, eu estimulei pessoalmente e aos seus companheiros para que ele pudesse ser candidato. E os meu objetivo hoje vai muito além do que tratar de questões pessoais”, bateu Aécio.

O senador mineiro cancelou a visita que faria a Pernambuco nesta segunda por causa do nascimento prematuro de seus dois filhos gêmeos, Julia e Bernardo. Ainda durante a entrevista, ele anunciou que realizará a mesma agenda no dia 18. A visita inclui receber o título de cidadão do Recife, que o tucano classificou como “extremamente honroso”.

Com Informações do NE10

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira