segunda-feira, 16 de junho de 2014

Argentina pinta o Rio de Janeiro de Azul e Branco e bate a Bósnia: 2 a 1

Com Messi dando show e fazendo gol aos 19 minutos do segundo tempo, o Maracanã virou argentino no início da noite deste domingo 15. A equipe azul e branco venceu o jogo contra a Bósnia por 2 a 1, fazendo uma festa em azul e branco explodir no estádio mais famoso do planeta.

Nos dias que antecederam a partida, uma alegre, colorida e pacífica invasão argentina agitou o principal cartão postal da Copa do Mundo no Brasil. Com muita reverência ao Papa Francisco e, especialmente, a Messi, uma legião composta por cerca de 50 mil argentinos está circulando, comprando e lotando hotéis e praias do Rio de Janeiro. 

Na Copa das Confederações, no ano passado, pesquisa do Ministério do Turismo com 17 mil visitantes estrangeiros apurou que a economia brasileira recebeu uma injeção financeira equilavente a R$ 9,2 bilhões de reais com o evento. Em lugar das seis cidades-sede daquele torneio, agora são 12 cidades-sede, com uma número muito superior de turistas, ainda não contabilizado inteiramente.

O que já se sabe é que a taxa de ocupação dos hotéis onde a Copa se realiza é superior a 80%, atingindo-se, no Rio, lotação máxima. O Mundial pode resultar numa receita pelo menos duas vezes superior que a apurada no evento das confederações. Também do ponto de vista financeira, a Copa vai se mostrando um ótimo negócio.

Abaixo, notícia do Portal da Copa sobre o jogo:

Messi marca em sua estreia no Maracanã e Argentina vence Bósnia
O craque fez a diferença e desequilibrou jogo que começou com gol contra dos europeus

Depois de primeiro tempo discreto, craque argentino desequiibrou com gol decisivo

Portal da Copa - Lionel Messi fez a diferença em sua estreia no Maracanã neste domingo (15.06). Aos 19 minutos do segundo tempo, o craque tabelou com Higuain, cortou o defensor e, com a bola colada ao pé, sua marca registrada, tocou no canto direito do goleiro Begovic. Assim, ampliou a vantagem para 2 x 0 no placar, que foi aberto logo no começo da partida pelo lateral Kolasinac, que fez contra aos 2 minutos.

Os bósnios, que receberam a torcida dos torcedores brasileiros no estádio, ainda equilibraram o jogo e descontaram, aos 39 minutos do segundo tempo, com o atacante Ibisevic. Ele recebeu dentro da área e tocou entre as pernas do arqueiro argentino, Romero. É o primeiro gol do país em um Mundial, em um dos maiores templos do futebol e diante de 74.738 pessoas.

Na próxima rodada, a Argentina, que está no Grupo F, enfrenta o Irã, em Belo Horizonte, e a Bósnia encara a Nigéria, em Cuiabá.

A seguir, despacho da Agência Brasil sobre a 'invasão' argentina ao Rio:

Argentinos lotam Copacabana, mas são bósnios que conquistam apoio dos cariocas

Isabela Vieira - Repórter da Agência Brasil Edição: Luana Lourenço

Os argentinos lotaram o bairro de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, neste domingo (15) e coloriram ruas e orla com bandeiras e camisas em azul e branco. Mas não convenceram a torcida brasileira. Maiores rivais do Brasil no futebol, por onde passam, ouvem dos cariocas declarações de apoio à seleção da Bósnia, que enfrenta a Argentina às 19h no Estadio Maracanã, na zona norte.

Em grupos, os argentinos estão por todas as partes. Cantam em apoio a sua seleção, fazem performances com malabares, bandeiras e festa por onde passam. Os que não foram ao Maracanã começam a chegar a Fifa Fan Fest, em Copacabana, que transmitiu o jogo entre França e Honduras e vai exibir a partida das 19h. Até as 17h30, 20 mil pessoas passaram pelo local.

De Buenos Aires, Federico Rotter enfrentou quatro dias de carro para chegar ao Rio. Diz que até segunda-feira (16) os cariocas terão que conviver com a torcida argentina, "queira ou não queira".
"Roubamos o Rio por alguns dias. A Copa podia ser toda aqui. Como não é, teremos que voltar para final", disse, confiante no título de campeão.

Também de Buenos Aires, Cristian Acuña não se importa com o que chama de desprezo da torcida brasileira. "Amo o Rio de Janeiro mesmo. A praia, o sol, a cidade é maravilhosa", declarou. Para ele, o placar do jogo de hoje vai ser 3 x 1 para seu time.

Ao contrário dos argentinos, os bósnios recebem apoio onde quer que cheguem. A caminho do Maracanã, o torcedor Mev Lodinalic disse que a ajuda de todas as torcidas é benvinda. "Parece que todo mundo é contra a Argentina por algum motivo. Os brasileiros, os ingleses e os chilenos. Todos gritam frases de apoio, é muito legal", disse.

Antes do inicio da partida, o bósnio David Vucetovic prometeu "chocar o mundo derrotando a Argentina". "Todo mundo notou o apoio da torcida brasileira. Não podemos decepcionar e vamos ganhar", brincou ele, que está com mais três amigos no Rio.

Para os bósnios, a participação na Copa é um marco na história do país, depois das guerras pelas quais passou. "Quase nos aniquilaram como povo. Para nós é muito importante estar aqui", frisou Lodinalic, referindo-se ao conflito contra a Servia.

No entorno do Maracanã, a movimentação de torcedores chegando para a partida, principalmente argentinos, é intensa. Na Fifa Fan Fest, a grande expectativa é para apresentação da bateria da Mangueira, antes do jogo, e de Beth Carvalho, ao final da partida.

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira