sábado, 21 de junho de 2014

ARMANDO: PSB DÁ PRÊMIO INDESEJADO AOS INFIÉIS

O senador e pré-candidato ao governo de Pernambuco pelo PTB, Armando Monteiro, voltou a criticar duramente o PSB, que como postulante o ex-secretário estadual da Fazenda Paulo Câmara, indicado pelo seu correligionário e ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, candidato ao Palácio do Planalto. Em ato na cidade de Bom Conselho, no Agreste pernambucano, o parlamentar afirmou que o estado vice o "momento do medo e da perseguição", sugerindo que a legenda peessebista faz retaliações a lideranças que não apoiam a candidatura de Câmara.

"Pernambuco vive um momento de medo. São ex-prefeitos que têm medo de que suas prestações de contas não sejam aprovadas porque não estão com o outro lado. É a mistificação. É o prêmio aos infiéis. Temos a obrigação de nos opor a esse tipo de coisa. Temos que mostrar que o povo de Pernambuco tem altivez e independência", criticou o senador.

Em abril, o parlamentar pelo PTB acusou o PSB oferecer "bolsa eleição" com o objetivo de atrair prefeitos petebistas à Frente Popular (FP), coligação de Câmara, formada por 22 partidos, oferecendo recursos e obras para lideranças do PTB. Segundo Armando, forma beneficiados os gestores municipais Bruno Martiniano (PTB), de Gravatá, no Agreste de Pernambuco, e Madalena Brito (PTB), de Arcoverde, no Sertão do Estado.

O candidato do PSB negou as acusações. "Os apoios que nós estamos recebendo são em virtude do trabalho que nós fizemos nos sete anos e três meses e na perspectiva de que vamos fazer mais pra ajudar os municípios do nosso Estado", disse Câmara, no dia 26 de abril, durante evento realizado na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte de Cargas (Sintracargas), no bairro da Boa Vista, região central do Recife.

Ataques continuam

Dois dias depois de Câmara rebater Armando, o senador do PTB voltou a cutucar o peessebista, em ato ocorrido no município de Igarassu, Norte do Grande Recife. "É como se, de repente, eles tivessem se apropriado de um território político. Não! O povo de Pernambuco é independente, é altivo, é politizado, não aceita esta noção de que um grupo pode assegurar a continuidade de um projeto apenas pela vontade alguns poucos. Eu repito: não se nomeia governador. Governador se elege", afirmou.

Por parte do PSB, a alfinetada mais contundente veio do ex-ministro da Integração Nacional e candidato ao Senado pela sigla, Fernando Bezerra Coelho. Para o ex-ministro, Armando usou indevidamente a máquina pública. "Como é que você coloca um argumento para debate ou questiona um argumento para debate se você está se utilizando dele a nível nacional, se você está se utilizando dele aqui na pré-campanha?" questionou FBC, em entrevista a uma rádio local.

De acordo com o ex-ministro, num evento ocorrido em Petrolina, cidade pelo prefeito Júlio Lóssio, que, apesar de ser do PMDB, vice na chapa do PSB, apoia Armando, ministros de estado e parlamentares que apoiam o senador estiveram no evento, "para entrega de máquinas, equipamentos, a diversos prefeitos de Pernambuco".

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira