domingo, 8 de junho de 2014

Em Pernambuco, candidatos devem ficar longe da Arena e acompanhar Seleção em casa


Um ano após a série de protestos que mobilizou milhares de pessoas em todo o País, os principais pré-candidatos ao Governo de Pernambuco devem passar longe da Arena Pernambuco e acompanhar os jogos da Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo em casa, com as suas respectivas famílias. Mesmo sem os candidatos, a expectativa do Estado é que aproximadamente 200 mil pessoas assistam às partidas durante os jogos.

“Acho que é um momento que a gente vai ter também de poder ficar mais perto da família”, afirmou ao Blog de Jamildo o senador Armando Monteiro Neto (PTB), que disse estar se programando para assistir aos jogos em casa.

“Eu nem comprei ingresso! Não tem nem como ir [para a Arena]“, disse o ex-secretário da Fazenda Paulo Câmara (PSB), que deve acompanhar os jogos da Seleção Brasileira com familiares e amigos.

Primeiro colocado nas últimas pesquisas de intenção de voto, Armando Monteiro confessou que vai desacelerar um pouco durante o Mundial. “Nós vamos ficar mais dedicados à questão do planejamento e da estruturação da campanha”, disse.

“É claro que podemos atender algum compromisso, mas a ideia é que a gente cuide mais agora do planejamento”, admitiu o petebista.

Já Paulo Câmara, que nunca disputou eleições, só deve descansar quando o time brasileiro entrar em campo. A assessoria do candidato estuda, inclusive, a possibilidade de conciliar agendas políticas pela manhã nos dias de jogos do Brasil.

“Durante a Copa eu vou estar viajando, vou para os municípios. Quando tiver jogo do Brasil eu paro para assistir. Mas vou continuar fazendo a pré-campanha normalmente”, prometeu.

A Arena Pernambuco irá sediar quatro jogos na primeira etapa da Copa do Mundo, nos dias 14, 20, 23 e 26 de junho. Além disso, um dos torneios das oitavas de final também ocorrerá no estádio, no dia 29 do mesmo mês.

Pelo menos oito seleções vão se apresentar em terras pernambucanas: Alemanha, Estados Unidos, Croácia, México, Camarões, Japão, Costa Rica e Itália.

INFLUÊNCIA – Ao Blog, os dois candidatos disseram não acreditar que o resultado do torneio possa influenciar decisivamente o resultado da eleição no Estado. “Acho que o povo brasileiro tem um discernimento de que uma coisa é o futebol e outra é a escolha que nós vamos promover”, avaliou Armando. “Acho que não. Eu creio que não”, ponderou Câmara.

“Ninguém se elege porque o Brasil ganhou a Copa e, ao mesmo tempo, ninguém perde porque o Brasil não foi bem sucedido na Copa. A sociedade brasileira já alcançou um grau de maturidade que a possibilidade de confundir essas coisas é muito pequena”, defendeu o senador petebista.

“Nós esperamos que, caso haja protesto, sendo um protesto legítimo, que seja pacífico. Que a democracia é boa. Os protestos são bons para a democracia. A gente só espera que não caia para um lado de violência, de vandalismo. Isso é que é ruim”, pediu o socialista.

Com Informações do NE10

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira