sexta-feira, 27 de junho de 2014

Para Armando, PSB tenta desqualificá-lo

O senador e pré-candidato ao Governo de Pernambuco, Armando Monteiro (PTB), rebateu as críticas feitas pelo PSB acerca das votações realizadas pelo parlamentar na Casa Alta. De acordo com o petebista, os disparos feitos pelo PSB são uma "desconstrução da história" que não convence a sociedade. Na última terça-feira, o líder do Governo na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Waldemar Borges (PSB), disse que Armando é conhecido pelos socialistas como "patrão" e afirmou que o petebista vota "contra os trabalhadores" no Senado.

"Se eu votava tão mal, por que eles me ajudaram a ficar mais oito anos no Congresso?", perguntou Armando, nesta quinta-feira (26), durante entrevista à Rádio Jornal. "Fico impressionado com a forma apressada de desqualificar. Isso é oportunismo", complementou, acrescentando que o PSB apoiou o senador na eleição para o Senado, após 12 anos como deputado federal.

Já o deputado federal e pré-candidato ao Senado João Paulo (PT) rebateu os ataques feitos pelo seu adversário nas eleições, o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho (PSB). Durante uma entrevista, FBC teria dito que "o povo e a cidade do Recife não sentem falta de João Paulo", remetendo à gestão do petista na prefeitura do Recife, entre 2000 e 2008. "Falta saudade dele do povo de Petrolina", declarou João Paulo, em alusão à época em que o ex-ministro foi prefeito do município sertanejo.

Armando afirmou ainda que o PT não pretende fazer com o ex-governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos (PSB) a desconstrução que vem sendo feita pelo socialista contra os governos do PT, principalmente contra a administração da presidente Dilma Rousseff (PT). "Eles querem desconstruir a imagem de governos que eles apoiaram e dos quais fizeram parte", criticou o petebista.

Ao falar do adversário na corrida para o Governo de Pernambuco e candidato pela Frente Popular, Paulo Câmara (PSB), Armando classificou o socialista como um "burocrata" que "vem da máquina estadual". "Ele é um bom rapaz, um bom auxiliar, tem treino para ser liderado. Ele vem da burocracia", alfinetou Armando. "Como secretário da Fazenda no governo de Eduardo Campos, ele se dedicou a extrair o máximo de impostos dos pernambucanos. E foi muito cruel com os pequenos empresários", continuou.

A meta do PTB é tirar a ideia de que Paulo Câmara é um técnico, para evitar um pleito como o de 2012 para a prefeitura do Recife. Na época, o atual prefeito Geraldo Julio (PSB) foi apresentado como um candidato técnico e acabou ganhando as eleições no primeiro turno.

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira