terça-feira, 8 de julho de 2014

Eduardo Campos diz querer cadeia para "raposas velhas"

Em seu primeiro discurso em Pernambuco após a deflagração oficial do início da corrida eleitoral o presidenciável Eduardo Campos (PSB) voltou a atacar a base governista do governo da presidente Dilma Rousseff (PT), sua adversária na corrida rumo ao Planalto. Segundo Campos, a aliança é "conservadora, atrasada e patrimonialista". Para o socialista, é preciso que parte das "raposas velhas que vem roubando há muito tempo o Brasil vá para a oposição e uma parte delas para a cadeia". Campos também atacou a presidente Dilma ao dizer que ela precisa "parar de se esconder atrás do marqueteiro".

"Pernambuco vai ver um filho desta terra subir aquela rampa (do Palácio do Planalto) para honrar a história brasileira, para recolocar o Brasil nos trilhos, para fazer o Brasil crescer, dar escola em tempo para os filhos pobres do Brasil. Para fazer com que um bocado de raposas velhas que vem roubando há muito tempo o Brasil vá para a oposição e uma parte para a cadeia. É isso que nós vamos fazer no Brasil", prometeu o candidato.

Ainda durante o seu discurso de cerca de 30 minutos, Campos disse que, caso seja eleito, irá fazer a sua festa da vitória no Marco Zero da capital pernambucana. "Estou feliz, estou seguro, estou confiante. Vamos construir a maior vitória que Pernambuco já viu", bradou.

Em relação a postulação de Paulo Câmara, que permanece atrás do senador Armando Monteiro Neto (PTB) nas pesquisas de intenção de voto em relação ao Governo do Estado, Campos mandou um recado em alto e bom som direcionado aos candidatos proporcionais que trocaram o palanque do PSB pelo do candidato trabalhista. "Quem lambeu barra de sal vai comer cocada com água gelada", assegurou. Ele também disse que voltará a Pernambuco "quantas vezes forem necessárias" para reforçar a campanha de Paulo Câmara.

Com Informações Portal 247

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira