quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Jarbas quer Marina em substituição a Eduardo Campos na corrida presidencial

O senador e candidato a deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), que reatou relações com o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) nas últimas eleições municipais após anos de afastamento político, disse em entrevista à Rádio Folha, nesta quinta-feira (14), que o falecimento do socialista foi "uma perda irreparável". Para o parlamentar, ". "Eduardo foi o político mais brilhante de sua geração". Jarbas defendeu, ainda, que Marina Silva, vice de Campos na disputa presidencial, seja a sua substituta na cabeça da chapa socialista.

Jarbas ressaltou que a sua relação com Campos começou em 1985, quando o parlamentar candidatou-se à Prefeitura do Recife. O rompimento entre eles se deu anos depois, quando Jarbas disputou o Governo do Estado contra o avô de Campos, o ex-governador Miguel Arraes, já falecido. O reatamento, porém, aconteceu em 2012, por ocasião das eleições municipais.

Segundo o peemedebista, como a situação na capital pernambucana estava muito ruim – na época a capital pernambucana estava sob a administração do petista João da Costa que havia sucedido o atual deputado federal João Paulo (PT), que comandou a prefeitura ao longo de dois mandatos – o PMDB optou por retirar a candidatura do deputado federal Raul Henry, atualmente candidato a vice na chapa de Paulo Câmara (PSB) pelo Governo do Estado. A partir daí, foi firmada uma aliança que resultou na eleição de Geraldo Julio para o Executivo municipal e que resultou no reatamento entre ambos.

Jarbas, um dos maiores opositores das administrações federais do PT, lembrou que também disse a Campos que só poderia ajuda-lo em seu projeto nacional de disputar a Presidência da República caso ele se afastasse do Partido dos Trabalhadores. Campos rompeu com o PT em outubro de 2013.

Jarbas ressaltou que, apesar do momento difícil, o prazo de 10 dias para que o PSB apresente o nome do substituto de Campos junto a Justiça Eleitoral está correndo. Segundo ele, o nome deveria vir de alguém que integra as fileiras do PSB, podendo ser o da própria ex-senadora, que apesar de filiada recentemente ao PSB tinha a confiança de Campos e era a sua vice.

O parlamentar também informou que ligou para o prefeito Geraldo Julio, que também é um dos coordenadores da campanha do candidato a governador da Frente Popular, Paulo Câmara (PSB), dizendo estar à disposição para atuar na campanha socialista.

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira