domingo, 31 de agosto de 2014

Sport se reabilita com vitória de 2×0 sobre o Criciúma

Em dois tempos distintos, prevaleceu o segundo tempo do Sport, que foi bem superior ao Criciúma e venceu por 2×0 na tarde deste domingo (31), na Ilha do Retiro. O resultado apagou as más atuações contra Fluminense e Vitória – esta última pela Copa Sul-Americana. Os três pontos fizeram o time subir para a sexta posição na Série A do Brasileirão.

As mudanças eram pedidas pela torcida e vieram. Vítor, Ferron, Danilo e Diego Souza apareceram no time titular do Sport nos lugares de Patric, Oswaldo, Ibson e Ananias. Mas o principal não mudou: a marcação frágil no meio de campo, que dava espaço para contra-ataques. Para piorar ainda mais, Diego Souza, de quem se esperava um suporte maior para Neto Baiano, sentiu a face posterior da coxa com dois minutos de partida.

O camisa 87 ainda fez um esforço para tentar ficar em campo, o suficiente para ver o primeiro contra-ataque perigoso do Tigre, aos seis. Cléber Santana chutou para Magrão defender parcialmente. Antes de a bola ir para o gol, Vítor apareceu para ceder escanteio. Com muitos erros de passe e consequente pouca posse de bola no meio, o time rubro-negro ficou sem força para chegar ao ataque.

Diego Souza terminou saindo aos nove minutos, sendo substituído por Zé Mário. A função dele era ocupar o lado direito do setor de criação assim como Danilo deveria fazer o mesmo pela esquerda. Mas a dupla não movimentou-se o suficiente e terminou presa fácil para os marcadores. Com dificuldade nas duas transições – defensiva e ofensiva – passava a imagem de lentidão e falta de criatividade.

E prova disso é que o primeiro lance de perigo dos donos da casa só aconteceu aos 31 minutos. Durval interceptou um cruzamento e tocou para Felipe Azevedo. O camisa 11 avançou e tocou para Zé Mário chutar com perigo, à esquerda de Luiz. A primeira jogada perigosa acendeu o ímpeto dos leoninos. Aos 38 o até então apagado Danilo marcou a saída de bola de Eduardo e passou para Renê soltar uma bomba. Luiz espalmou. Na cobrança do escanteio, Rithely cabeceou raspando a trave esquerda.

Mas os minutos finais foram um tormento para o Sport. Na saída errada pela direita, aos 42, Cortez cruzou para Rafael Costa acertar o travessão. Aos 46, Lucca bateu escanteio para Fábio Ferreira acertar o poste direito.

Numa prova de que a substituição não fora a mais indicada, o técnico Eduardo Baptista voltou para o segundo tempo sem Zé Mário. Mas para quem esperava um jogador de meio de campo ou atacante, quem apareceu foi o lateral-direito Patric. O recado estava claro: o setor direito defensivo do Sport falhou clamorosamente, tanto para criar quanto, principalmente, para defender. A aposta era que um lateral de muita força física ajudasse atrás e na frente.

E saiu de Patric o primeiro gol leonino. Ele bateu falta da meia-direita e Rithely desviou de cabeça. Luiz fez grande defesa mas a bola sobrou limpa para Neto Baiano empurrar para as redes. Ainda atordoado pelo gol, o Criciúma recebeu o segundo golpe apenas dois minutos depois. Felipe Azevedo puxou mais um contra-ataque e serviu Danilo. Ele ajeitou e chutou forte, na saída de Luiz.

Não foi apenas a entrada de Patric que mudou o panorama. A postura tática do time da Ilha mudou. Tanto Patric quanto Danilo passaram a marcar a saída de jogo dos laterais do Criciúma. Além de manter a bola perto da área catarinense, a medida também isolou o meio de campo e o ataque do adversário. Prova disso foi a pouca participação do atacante Souza.

Aos 22 minutos, a marcação recuou um pouco com a entrada do volante Augusto no lugar do lateral Vítor. Patric passou à faixa de campo que normalmente ocupa e o jogador de meio de campo assumiu a função de marcar a saída pelo lado esquerdo. A força ofensiva caiu um pouco. Mesmo assim, os rubro-negros não deram espaço para o adversário levar perigo.

Ficha de jogo

Sport: Magrão; Vítor (Augusto), Durval, Ferron e Renê; Rithely, Wendel, Danilo e Diego Souza (Zé Mário) (Patric); Felipe Azevedo e Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista.

Criciuma: Luiz; Eduardo (Luís Felipe), Alcides, Fábio Ferreira e Cortez; Serginho (Giovanni), Rodrigo Souza, Cleber Santana e Rafael Costa (Maurinho); Lucca e Souza. Técnico: Wilson Waterkemper.

Local: Ilha do Retiro. Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP). Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Rogerio Pablos Zanardo (ambos SP). Gols: Neto Baiano, aos cinco; e Danilo, aos sete do segundo tempo. Cartões amarelos: Danilo, Zé Mário, Wendel, Cortez, Serginho, Eduardo e Rafael Costa.

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira