sexta-feira, 27 de março de 2015

Brasil quebra tabu com vitória de virada sobre a França

A seleção brasileira manteve os 100% de aproveitamento da nova era Dunga ao derrotar a França de virada por 3 a 1 em pleno Stade de France, em amistoso disputado nesta quinta-feira, no palco da derrota por 3 a 0 na final da Copa do Mundo de 1998.

O Brasil não vencia os 'Bleus' em terras francesas há 23 anos, desde 1992, em triunfo por 2 a 0, no Parque dos Príncipes.

Os franceses saíram na frente aos 21 minutos de jogo, com um gol de cabeça do jovem zagueiro Raphael Varane, do Real Madrid, em cobrança de escanteio.

A torcida pensava que iria reviver a noite histórica de 1998, quando Zinedine Zidane marcou dois gols em escanteios, mas o craque já pendurou as chuteiras há muito tempo e o Brasil reagiu com brilho, garantindo a sétima vitória em sete jogos desde o retorno de Dunga ao comando da seleção.

Oscar deixou tudo igual aos 40, Neymar virou aos 11 da etapa final e Luiz Gustavo anotou o terceiro aos 23.

Oscar já havia balançado as redes no último confronto entre as duas equipes, anotando o primeiro gol da vitória por 3 a 0 do Brasil sobre os franceses, em junho de 2013, em Porto Alegre, no último amistoso antes da Copa das Confederações.

Já Neymar chegou à marca de 43 gols com a camisa verde-amarela, igualando dois craques do tri de 1970, Rivellino e Jairzinho.

Foi o primeiro teste diante de uma seleção europeia de primeiro escalão desde o fracasso da Copa do Mundo, e os comandados de Dunga passaram com louvor, mostrando muita inteligência tática, principalmente no segundo tempo.

A seleção brasileira volta a campo nesta domingo (29), em Londres, contra o Chile, no último amistoso antes da convocação para a Copa América, que será justamente disputada em terras chilenas dos dias 11 de junho a 4 de julho.

"Todos dizem que os brasileiros estão traumatizados com o que aconteceu na Copa, mas eles chegaram à semifinais e ainda têm ótimos jogadores", comentou o técnico francês Didier Deschamps depois da partida. "Os nossos objetivos são mais distantes. O Brasil já tem a Copa América pela frente, e nos queremos enfrentar os melhores para preparar bem a Eurocopa de 2016", completou o treinador, que foi capitão da seleção francesa em 1998.

A torcida que lotou o Stade de France vibrou antes mesmo da entrada dos jogadores em campo, com a homenagem a quatro jogadores que vestiram cem vezes a camisa da seleção francesa, Thierry Henry, Patrick Vieira, Marcel Desailly e, como não poderia faltar, Zidane, carrasco do Brasil em Copas do Mundo.

Depois da reverência ao ex-craques, houve um momento mais triste, com o minuto de silêncio em homenagem às 150 vítimas do acidente de avião de terça-feira, nos alpes franceses.

PRIMEIRO TEMPO MORNO - O Brasil começou bem na partida, com marcação adiantada para pressionar a saída de bola adversária, mas levou um grande susto logo aos 7 minutos de jogo.

Em cobrança de escanteio, a bola sobrou na segunda trave para Benzema, que cabeceou sozinho, a um metro do gol, obrigando Jefferson a fazer uma defesa milagrosa.

O lance incendiou a torcida, mas o Brasil reagiu aos 10, quando Firmino soltou a bomba de fora da área, mas foi travado por Sakho.

As duas equipes tentaram tomar conta da partida, mas o duelo, que começou quente, ficou morno, com muitos erros de passe de ambos os lados.

A França acabou abrindo o placar aos 21, em mais uma cobrança de escanteio. Desta vez, não houve milagre e Jefferson nada pôde fazer para impedir Varane de cabecear para as redes, aproveitando falha de marcação de Miranda.

Neymar até tentou esboçar uma reação ao sair driblando, mas estava sempre bem marcado por Matuidi. Firmino arriscou mais um chute de longa distância aos 29, obrigando Mandada a se esticar todo para fazer a defesa.

O atacante do Hoffenheim, que foi muito bem para sua primeira partida como titular da seleção, acabou sendo decisivo no gol de empate, aos 40, ao tabelar com Oscar, que mandou a bola de bico para as redes, na conclusão de uma bela jogada coletiva.

MUDANÇAS SÓ NO FIM - O Brasil voltou melhor para o segundo tempo, tocando bem a bola, e virou o marcador aos 11, com um golaço de Neymar. O camisa 10 recebeu passe açucarado de Willian na esquerda da área e mandou um chutaço de canhota no ângulo, em jogada parecida com o primeiro gol da vitória por 3 a 0 sobre a Espanha, na Copa das Confederações.

A França tentou reagir logo em seguida e Benzema mas perdeu um gol feito ao isolar a bola para arquibancada quando estava sozinho, de frente para Jefferson, que já tinha feito uma grande defesa no lance anterior.

Oscar quase marcou de novo aos 22, e o terceiro gol acabou saindo no minuto seguinte.

No mesmo gol em que Varane abriu o placar, Luiz Gustavo respondeu na mesma moeda, ao cabecear para as redes em cobrança de escanteio.

Douglas Costa, Souza, Luiz Adriano, Fernandinho e Marcelo também participaram da festa, entrando no lugar de Willian, Oscar, Firmino, Luiz Gustavo e Elias, mas os cinco tiveram pouco tempo para mostrar serviço.

O jovem atacante Nabil Fekir, de 21 anos, fez sua estreia com a camisa azul ao entrar no lugar de Griezmann aos 28, mas não conseguiu evitar a derrota francesa.

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira