sexta-feira, 3 de julho de 2015

"Crise no Brasil é política e não econômica", afirma Marta Suplicy


Ao lado da cúpula nacional do PSB, a senadora Marta Suplicy (sem partido-SP) afirmou, nesta sexta-feira (3), durante pronunciamento no evento “Diálogo Brasil: Reflexões sobre o Brasil e os Caminhos Democráticos”, que o problema do Brasil não é econômico, mas político. Estavam presentes no evento os principais nomes da executiva do PSB.

Se contrapondo à presidente Dilma Rousseff (PT), a senadora rebateu os últimos discursos da petista e disse que a atual situação do País é reflexo da crise política, crise de credibilidade, e não econômica.

Cada dia mais alinhada ao PSB, Marta deve se filiar à legenda no próximo dia 15 de agosto, conforme antecipou o vice-governador de São Paulo, Márcio França.

Em sua fala, a ex-petista criticou o centralismo de poder e defendeu ações afirmativas para gerar um “desenvolvimento harmonioso” em todas as regiões do Brasil, com ênfase no Nordeste. “Não vamos resolver esse problema se não falarmos de política. O problema é, unicamente, neste momento de crise, político. Temos um governo com apenas 9% de apoio [de acordo com pesquisa CNI/Ibope], sem credibilidade”, afirmou Marta.

“Gente, a situação é séria, a falta de governabilidade é tanta que é o momento de um conversa nacional, porque o Brasil não aguenta mais”, disparou a senadora.

Ao fim da fala, Marta chamou Renata Campos, viúva do ex-governador Eduardo, para emendar a famosa frase dita por ele ao fim da entrevista no Jornal Nacional: “Não vamos desistir do Brasil”.

Com discurso de oposição ao governo federal, o vice-presidente nacional do PSB Beto Albuquerque arrematou que “o prazo do PT expirou”. Beto vêm subindo o tom das críticas desde o fim das eleições de 2014, quando disputou a vice-presidência do Brasil na chapa de Marina Silva.

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira