sexta-feira, 1 de abril de 2016

Fogo, Pedras e Tumulto: Rebelião na Funase de Abreu e Lima


Internos do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Abreu e Lima, no Grande Recife, promoveram um tumulto na unidade na noite desta quinta-feira (31). Os adolescentes atearam fogo em colchões e, utilizando pedras e pedaços de madeira, destruíram tudo o que encontraram pela frente. De acordo com a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), responsável pelo Case, nenhum reeducando ficou ferido na ocorrência. Apesar disso, um jovem que sofre com problemas respiratórios precisou ser levado para uma unidade de saúde, pois inalou muita fumaça.

Policiais militares do 17º BPM, do Grupo de Apoio Tático Itinerante (Gati), do Batalhão de Choque e da Companhia Independente de Operações Especiais (Cioe) foram encaminhados para o local e por volta das 21h a situação já estava sob controle. Três viaturas do Corpo de Bombeiros também foram acionadas.

"Fomos chamados para controlar focos de incêndio, mas quando chegamos já não havia mais nenhum. Vistoriamos o local, aguardamos que os agentes fizessem vistorias em áreas em que ainda havia internos que precisavam ser contidos e quando soubemos que não havia mais fogo, deixamos a unidade", explicou o tenente Glauco Vasconcelos, comandante do Corpo de Bombeiros.

Os reeducandos teriam se rebelado para pedir melhorias na alimentação e na estrutura do Case. Conforme informações repassadas pela mãe de um dos internos, o centro está superlotado e esta é uma das principais reclamações dos jovens. "Essa unidade está muito cheia e só servem restos de comida. O Estado, que pode fazer alguma coisa para mudar isso, não faz nada. Por conta disso, esses meninos saem daí pior do que entraram", afirmou a auxiliar de serviços gerais Ana Cícera Araújo de Lima.

Funcionários do Case afirmaram que alguns adolescentes, aproveitando-se da confusão, tentaram invadir alas vizinhas para agredir desafetos, mas foram impedidos pela PM.

Por meio de nota, a Funase informou que "foram constatados danos às instalações físicas do Case, ainda não estimados pela direção". O Case de Abreu e Lima tem capacidade para 98 reeducandos. Nesta quinta, a unidade tinha 198 adolescentes cumprindo medidas socioeducativas.

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira