sexta-feira, 13 de maio de 2016

Em Tamanduá, reservatório de dejetos da USF é foco de Aedes Aegypti



Em 2015 a cidade de Passira, Agreste de Pernambuco, enfrentou um dos maiores surtos epidemiológicos do Agreste. Era comum ver a Unidade Hospitalar amarrotada de pacientes se queixando de dores fortes nas articulações e febre, pois bem estava se desencadeando a Zika, Chikungunya e Dengue através do mosquito Aedes Aegypti.

O país inteiro vem se mobilizando ao ataque contra o mosquito transmissor. Porém, na manhã desta quarta-feira (12) este veículo recebeu uma denuncia, em reserva, de uma moradora que, amedrontada e aflita, afirmava que a Unidade de Saúde da Família (USF), do Sítio Tamanduá, Zona Rural, encontra-se com reservatório de dejetos inadequado para evitar a proliferação do mosquito que vem aterrorizando as famílias passirenses.

O Blog Aventura Passira esteve no local da denuncia e constatou que existem dois reservatórios de dejetos irregulares para os critérios de segurança. Existe indícios que cobrirão as estruturas com laje, porém esse painel se arrasta desde 2015 quando se deu início a reforma da USF. Por muito tempo a obra ficou parada e pelo acúmulo de água nota-se ligeiramente que por lá a situação perdura por meses e com as chuvas dos últimos dias o nível aumentou.

Sabe-se, ainda, que a Unidade é muito próxima a Escola Municipal Maria José de Medeiros, o que vem aumentando a aflição dos moradores.

Espera-se que o Prefeito Severino Silvestre-PSD tome conhecimento do ocorrido e execute ações de combate ao exposto.

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira