quinta-feira, 14 de julho de 2016

Procuradoria faz recomendações sobre a segurança nas eleições


A menos de três meses das eleições municipais, representantes da Procuradoria Regional Eleitoral em Pernambuco (PRE-PE) e das forças de segurança intensificam os trabalhos para garantir a tranquilidade no pleito. Na quarta-feira (13), a PRE fez recomendações à Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE) sobre medidas a serem adotadas, até outubro, para prevenir e punir os crimes. Também propôs mais atenção para evitar que atos ilícitos sejam cometidos por pré-candidatos, partidos ou coligações.

Transporte irregular de eleitores, compra de votos e a prática da chamada boca de urna são exemplos de crimes que costumam ocorrer no dia do pleito. Para facilitar a apuração, é preciso contar com a maior quantidade possível de informações, segundo a PRE. Na reunião, ficou definido que a SDS-PE enviará, até o fim de julho, a relação das autoridades das polícias Civil e Militar que atuam na 151 zonas eleitorais. Isso vai auxiliar o trabalho dos promotores eleitorais nessas jurisdições.

Essas informações serão atualizadas e complementadas, na semana anterior às eleições, em 3 de outubro, para que os promotores possam estreitar o contato com essas autoridades. A meta é agilizar o registro e o acompanhamento de denúncias. Participaram do encontro, no edifício-sede da Procuradoria Regional da República da 5ª Região, na Ilha do Leite, no Centro do Recife, o procurador regional eleitoral, Antonio Carlos Barreto Campello; o secretário da SDS-PE, Alessandro Carvalho; o comandante-geral da Polícia Militar de Pernambuco, coronel Carlos D'Albuquerque; e o subchefe da Polícia Civil de Pernambuco, Luiz Andrey.

De acordo com Campello, boa parte das irregularidades do país surge já no período eleitoral e, garantindo-se eleições limpas, sem abuso do poder econômico e político, crescem as chances de escolher melhor quem ocupará os cargos públicos. Os cidadãos podem contribuir enviando denúncias por e-mail ou pela Sala de Atendimento ao Cidadão, na internet.

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira