quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Silvestre terminará o mandato deixando a prefeitura endividada com servidores?

Restando pouco mais de 30 dias para finalizar um ciclo administrativo na prefeitura Municipal de Passira, Agreste de Pernambuco, o atual gestor, Severino Silvestre-PSD, acumula mais de 12 meses de quebra do acordo salarial com servidores do quadro permanente. Silvestre recebeu a edilidade Municipal em 2013 com aproximadamente 2 milhoes de reais em caixa destinados para o pagamento dos servidores, porém preferiu parcelar o débito em acordo com o Ministério Público de Pernambuco.

Em uma conta rápida, por exemplo, um funcionário de nível médio assalariado o  mínimo recebia algo em torno de 35,00 do parcelamento, com um ano de atraso Silvestre fez com que a prefeitura devesse ao mesmo algo em torno de R$ 420,00, variando o débito de acordo com nível da função. Seria uma boa quantia para o funcionalismo público terminar o ano um pouco animado.

Até o momento o atual gestor não esclareceu os motivos pelos quais quebrou o acordo, muito menos se vai quitar o débito. Sabe-se que o Governo Federal destinou recursos financeiros aos municípios, oriundos da Repatriação, que servirá para o pagamento do 13¤ terceiro salário e eventuais débitos com os servidores.

Em tempo, Silvestre foi derrotado nas urnas tornando-se o primeiro gestor a não ser reeleito. Tido como "rejeitado" perdeu para a vereadora de primeiro mandato, Renya Carla-PP, e o estreante na política, Boy de Zezé-PP.

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira