domingo, 23 de abril de 2017

Salgueiro vence o Santa Cruz e está na final do Campeonato Pernambucano


O Salgueiro foi, antes de tudo, um forte. Encurralou o Santa Cruz a partida inteira e, com todos os méritos, venceu os atuais campeões estaduais por 2×0, resultado que o levou para a segunda final de Campeonato Pernambucano em três anos. Melhor ainda. Desta vez, os salgueirenses terão a honra de receber a partida decisiva, já que, com a melhor campanha do time verde, vermelho e branco, a segunda partida será no Cornélio de Barros, seja contra Náutico ou Sport.

A partida coroou o time que teve melhor aproveitamento na competição. O Carcará perdeu apenas duas partidas e, somando primeira fase e semifinal, somou 26 pontos. Neste sábado mostrou coragem para encarar um time de tradição e com uma folha salarial bem mais elevada. O domínio sertanejo foi amplo, geral e irrestrito durante 99% do jogo.

Defesa
O Santa Cruz fez o que todo mundo sabia que ele iria fazer. Duas linhas de quatro bem próximas, Everton Santos para fazer a ligação e Pitbull sozinho lá na frente. O lateral-direito Vítor, por exemplo, foi praticamente um terceiro zagueiro enquanto Pereira reforçou a proteção da zaga com Gino e David. Tiago Costa ainda arriscou poucas descidas ao ataque mas nada que levasse susto a Mondragon. Mas o ferrolho funcionou bem, já que o Carcará só conseguiu finalizar de fora da área e, na direção do gol apenas um chute fraco de Valdeir aos 29.

Te vira, Pitbull
O grande problema do Santa não foi defender, aliás, como tem sido nesta temporada. E sim, atacar. Com dois laterais quase que exclusivamente defensores e a segunda linha muito próxima à defesa, o time fica sem saída. Para chegar ao ataque, Anderson Salles e, principalmente, Tiago Costa, fazem a ligação direta e Pitbull que dê conta do recado lá na frente. Numa rara jogada pelo chão, o centroavante arrancou pelo meio e serviu Everton Santos. Ele chutou rasteiro e a bola passou raspando a trave direita.

Valdeir no comando
O camisa 10 do Salgueiro foi quase onipresente. Apareceu pela esquerda para trocar de posição com Daniel. Pela direita para ajudar Toty – Tamandaré apareceu menos que o de costume na frente – e tentou tabelar com William Lira. Os chutes do Carcará de longe saíram de seus pés, mas faltou pontaria.

Mais pressão
O Santa voltou para o segundo tempo ainda mais conservador com Elicarlos no lugar de Pereira. Os corais entrincheiraram-se em seu campo e o Salgueiro partiu até com seus volantes. Moreilândia praticamente não tinha marcação e passou a arriscar de fora da área. Numa, Julio Cesar precisou defender em dois tempos. Na outra, a bola desviou em Álvaro e o goleiro tricolor ‘tirou com os olhos’.

O ataque compensa
De tanto pressionar, o time da casa chegou aos gols. Aos 22 minutos, após cobrança de escanteio a bola sobrou para Rodolfo Potiguar. quase na linha de pequena área. Ele dominou e mandou uma bomba para fazer 1×0. A essa altura, o Salgueiro já tinha Jean Carlos no lugar de Tamandaré. Três minutos depois Moreilândia bateu falta na barreira pela terceira vez seguida. Só que desta vez ela sobrou para Jean Carlos dominar na frente de Léo Costa e chutar no canto esquerdo: 2×0.

Não sei atacar
Acostumado a deixar o adversário jogar, o Santa Cruz se viu completamente perdido com a nova realidade: propor o jogo. Não adiantava ter o pé calibrado de Anderson Salles, era preciso velocidade, troca de posições, efim, propor o jogo. O Salgueiro

O árbitro
José Woshington chegou à semifinal com a marca de melhor árbitro do Pernambucano. No primeiro tempo inverteu algumas faltas e viu outras onde não havia. Até aí, erros passáveis. O problema foi no segundo gol do Carcará. Quando Jean Carlos dominou no peito, a bola escorreu por seu braço direito antes de ele finalizar para as redes. Erro que mudou o placar da partida.

A bola do jogo
No último minuto, Ranieri derrubou Thomás na meia-lua. Para Anderson Salles era quase pênalti. Na cobrança, Mondragon espalmou para escanteio e o grito foi tão grande nas arquibancadas que pareceu outro gol. Depois disso não havia mais nada a fazer.

FICHA DA PARTIDA – SALGUEIRO x SANTA CRUZ

Salgueiro: Mondragon; Marcos Tamandaré (Jean Carlos), Luiz Eduardo, Ranieri e Daniel ; Rodolfo Potiguar (Vítor Caicó), Moreilândia, Toty e Valdeir; Álvaro e William Lira. Técnico: Evandro Guimarães.

Santa Cruz: Julio Cesar; Vítor, Bruno Silva, Anderson Salles e Tiago Costa; Gino (Léo Costa), David e Pereira (Elicarlos); Thomás, Halef Pitbull e Everton Santos. Técnico: Vinícius Eutrópio.

Campeonato Pernambucano (Semifinal). Local: estádio Cornélio de Barros, em Salgueiro (PE). Árbitro: José Woshington da Silva. Auxiliares: Clovis Amaral da Silva e Marlon Rafael Gomes de Oliveira. Gol: Rodolfo Potiguar, aos 22; e Jean Carlos, aos 25 do segundo tempo. Cartões amarelos: Bruno Silva, Thomás, Vítor e David.

0 comentários:

Postar um comentário

Serão aceitos apenas comentários com indenficação verdadeira